• Vitor Lima

Tudo sobre Faculdade nos EUA

Atualizado: Mai 22


Neste post iremos destrinchar o processo universitário norte americano, nosso objetivo é que com essa rápida leitura possamos apresentar todas as possibilidades oferecidas aos estudantes internacionais em universidades norte americanas.


São milhares de bolsas oferecidas nos EUA, desde bolsas esportivas, acadêmicas, financial aid, e dentre tantas outras oportunidades oferecidas para estudantes internacionais no país.


Para você conseguir estudar nos Estados Unidos, é crucial que entenda o processo americano americano, e que saiba como conseguir entrar na melhor universidade possível.


Existem milhares de universidades para os mais diferentes tipos de estudante nos Estados unidos. Com as mais variadas opções de custo, locais, cursos, número de estudantes, nível acadêmico, esportivo e muito mais!


Resumimos o conteúdo para que possamos trazer informação de qualidade com uma leitura rápida, porém detalhada.


Tópicos

1. Porque fazer uma faculdade nos EUA?

2. Tipos de Universidades Americanas

3. Provas e Preparação para Universidade

4. Escolhendo o curso e a sua faculdade

5. Bolsas Esportivas, Acadêmicas e Financial AID

6. Estágios

7. Visto e Documentação



1. Porque fazer uma faculdade nos EUA


Se tratando de uma experiência universitária norte americana, podemos dizer com segurança que existem mais prós do que contras. Além de estudar em um dos países mais desenvolvidos do mundo, estudar nos EUA possibilita para o estudante um currículo forte, tanto para buscar oportunidades de trabalho no Brasil, como no mundo.





1. Grade Curricular

A grade curricular das Universidades Norte Americanas oferece muito mais liberdade para o aluno desde o primeiro ano de curso. O estudante poderá escolher aulas de diferentes cursos durante o primeiro e segundo ano, e terá que definir seu curso somente ao chegar no término de seu sophomore year (segundo ano). Até chegar ao fim do sophomore year, o estudante poderá ficar com o major undecided (curso indefinido).


2. Currículo


Uma diploma norte-americano é um atributo muito robusto no currículo de qualquer pessoa, além de melhorar sua colocação no mercado de trabalho brasileiro, o diploma abre o leque de opções para o mercado internacional. Já que o diploma norte-americano é valorizado no mundo todo.


3. Cultura


Estudantes do mundo inteiro vão aos Estados Unidos para estudar, isso faz com que os alunos tenham acesso a uma grande variedade de culturas dentro do campus.


Além da diversidade cultura, a universidade também é um dos melhores lugares para conhecer pessoas qualificadas de várias partes do mundo, possibilitando ao estudante fazer um network internacional de qualidade.


4. Desenvolvimento Pessoal


Além de todos os lados positivos acadêmicos e profissionais, estudar fora, especialmente nos Estados Unidos, traz um amadurecimento importantíssimo para os jovens. Porém, o desafio é grande e exigirá responsabilidade do aluno.


Fazer uma universidade no Brasil nem sempre significa sair da casa dos pais, porém nos EUA é diferente. Claro que por conta da distancia, a maioria dos nossos alunos mudam para os Estados Unidos sozinhos, mas não são somente eles que estão saindo da casa dos pais.


A maior parte dos estudantes americanos também saem das casas de seus pais, e moram dentro do campus nos primeiros anos. Após o freshman ou sophomore year, é comum os estudantes saírem do campus, mas seguem morando perto dos prédios da universidade, em apartamentos off campus.



2. Tipos de Universidades Americanas


Os Estados Unidos é o país que mais tem instituições educacionais de ensino superior no mundo, com mais de 5,000 Universidades espalhadas pelo país. Para você entender qual é a melhor para você, primeiro é necessário compreender os diferentes tipos de instituições, para depois tomar a melhor decisão possível.


a) Públicas x Privadas


Diferentemente do Brasil, as Universidades públicas nos EUA não são gratuitas, porém a maioria é non-profit (sem fins lucrativos), e oferecem certos tipos de benefícios para estudantes que tem família pagadora de impostos no estado em que a instituição é localizada


Já as universidades privadas normalmente são menores, e com anuidades mais altas, além de não terem incentivos para pagadores de impostos, já que não tem ligação com o estado. Porém elas ainda oferecem vários tipos de bolsa para seus estudantes, com dinheiro privado e ou com parceria com o governo americano.


b) Universities/Colleges


As Universities e Colleges são instituições públicas e privadas que oferecem cursos de 4 (quatro) anos. Além disso essas instituições também oferecem cursos de mestrado e doutorado. As universidades mais famosas que fazem parte desse grupo são Harvard, Stanford, University of Miami, Northweastern, entre milhares de outras.




As tuitions (custo total anual) desse tipo de universidade pode variar entre U$10,000 até U$65,000 (dólares), e inclui moradia, livros, alimetação, etc. O custo final também irá depender de vários fatores, incluindo bolsas e auxílios, além do nível da universidade.


Lembrando que por conta das bolsas, dependendo da instituição e do aluno é possível reduzir esse custo em até 100%.


c) Junior/ Community College


São instituições (públicas e privadas) que oferecem curso superior de até 2 (dois) anos de duração. Normalmente são faculdades locais, que servem como ponte para instituições de 4 (quatro) anos. Muitos estudantes primeiro ingressam em uma Community/Junior College, e depois transferem os créditos adquiridos para as Universities/Colleges.


Dentro dessas categorias existem diferentes tipos de instituições, que variam muito entre: nível acadêmico, possibilidade de bolsa, nível esportivo, custo, oportunidade de estágio, entre outros fatores.



3. Provas e Preparação para Universidade


O processo de admissão universitária americana é bem diferente do brasileiro. Usando uma comparação, o processo para ser admitido em uma faculdade americana se assimila ao de uma empresa na contratação de um funcionário ou prestador de serviço. Já que a faculdade não irá analisar somente as notas preparatórias (vestibular), mas o aluno como um todo.


Na hora da aplicação, a universidade irá analisar diversos fatores, como: notas do ensino médio, atividades extracurriculares, trabalhos voluntários, além das notas das provas preparatórias SAT (clique aqui para saber tudo sobre o SAT) e TOEFL (clique aqui para saber tudo sobre o TOEFL).



Por conta dessa análise das faculdades com o aluno, quanto antes o você começar a se preparar, melhor. Portanto, aconselhamos que caso o seu nível de inglês seja avançado, comece a se preparar pelo menos com seis meses de antecedência. Caso tenha um nível de inglês básico ou iniciante, o tempo deve ser maior, dependendo do nível de exigência das universidades desejadas.


Esse período servirá para que você tenha tempo de se preparar para as provas do SAT e TOEFL, além de conseguir encontrar um programa que atenda suas demandas e exigências.


Se o estudante fizer um intercâmbio ou high school (clique aqui para saber tudo sobre high school) antes da faculdade, melhor ainda, já que as faculdades americanas favorecem estudantes que tenham estudado no país. O estudante além de adquirir maior facilidade de adaptação devido a experiência no ensino médio, provavelmente terá um domínio maior da língua e cultura americana.


Se não for o caso, o estudante consegue fazer a aplicação e o processo pré universitário inteiro no Brasil, programa oferecido também pela VP Education, na Consultoria Universitária Internacional.


4. Escolhendo o curso e a sua faculdade


Ao entrar na Universidade, você terá diferentes opções de curso. Já que você que vai escolher suas aulas e sua grade currícular, tudo com a ajuda de um advisor. O advisor é o funcionário da universidade responsável por guiar o currículo universitário dos alunos. O trabalho dele é ajudar o aluno com orientação vocacional, auxiliar na escolha das aulas, e mais.

O major é o seu curso, área principal da formação, e o minor é uma especialização. A quantidade de créditos necessários para o major é maior que para o minor, mas ao longo de sua vida acadêmica, o estudante terá varias elective classes (classes eletivas), onde poderá escolher uma aula que não necessariamente seja da sua área de estudo principal (major).


Por essa razão o aluno pode fazer um minor mais facilmente ao direcionar essas aulas eletivas para um área de estudo especifica. Assim, completando os créditos necessários para uma especialização. Por exemplo, João é um estudante de engenharia que focou suas aulas eletivas em administração, acrescentando alguns outros créditos. Com isso ele será formado em engenharia com especialização em administração (major em engeneering e minor em business).


O estudante que faz uma faculdade nos EUA, tem até o segundo ano da faculdade para decidir o major escolhido. Isso quer dizer que ele poderá se matricular em aulas de diferentes matérias, até decidir o curso ideal. Se caso o aluno já tiver certeza da área, ele deve ficar atento a certos pontos antes de aplicar para determinadas faculdades:


  • Quais são as aulas oferecidas no curso?

  • Qual o nível dos professores?

  • Qual é a média salarial de ex alunos formados naquele programa?

  • Quantos e quais créditos são necessários para se formar na área?

  • Quais minors eu posso fazer para complementar meu major?


E se o estudante ainda não tem certeza da área de estudo, não tem problema. Mas saiba que dependendo do curso, quanto mais tempo você demorar para tomar a decisão, mais difícil pode ficar a graduação em 4 anos.


Isso acontece porque se o aluno não se matricular nas aulas necessárias para concluir o curso nos primeiros anos da faculdade, ele terá que fazer muitas aulas no mesmo semestre para recuperar o tempo investido em outra matéria.


Também existe a possibilidade de o estudante completar dois majors, normalmente os alunos se formam em duas áreas diferentes em 5 (cinco) anos. Para saber mais sobre dual degree e doble major, clique aqui.


5 - Bolsas Acadêmicas, Esportivas, Financial AID

Todos os anos, as universidades norte-americanas distribuem bilhões de dólares em bolsas esportivas, acadêmicas e em financial aid para milhões de estudantes. Você também pode ser um desses beneficiados, mas primeiro você precisa entender quais são essas oportunidades e o que você tem que fazer para aproveitá-las.


Somando todas as universidades norte-americanas, só no ano de 2019, foram oferecidas mais de 1.7 milhões de bolsas acadêmicas, totalizando o valor de U$7.4 bilhões (dólares) no ano. Essas bolsas são oferecidas de acordo com o currículo do estudante e/ou com o desempenho dele dentro da universidade. É inclusive, muito comum que estudantes que se destacam na sua área de estudo durante o curso, conseguirem bolsas acadêmicas a partir do 2º ano do curso universitário.





Além das bolsas acadêmicas, as bolsas esportivas também são oferecidas para milhares de estudantes-atletas, totalizando mais de 180,000 (cento e oitenta mil) bolsas integrais todos os anos. Somente a NCAA, principal liga esportiva norte-americana, distribui mais de U$3.6 bilhões de dólares, que são divididos todos os anos em forma de gastos como anuidade, moradia, equipamento, treinamentos, equipe de preparação para os beneficiados.


Em retorno a essa bolsa o estudante deve manter notas boas, e desempenhar dentro de seu esporte. As NCAA é a principal liga esportiva universitária do mundo e conta com um alto nível em todos os 24 esportes que fazem parte da organização.


O último tipo de auxílio oferecido para os estudantes é o financial aid, que é doado pelo governo americano em parceria com as universidades. Esse auxílio é direcionado para estudantes que passaram nas respectivas universidades, porém não tem condições financeiras de pagar a anuidade.


Para mais informações sobre todos os gastos de estudar nos Estados Unidos, clique aqui.


6- Estágios


Muitos estudantes brasileiros têm dúvidas se podem ou não trabalhar nos EUA durante a faculdade e/ou depois de concluir o curso.


O visto F-1 de estudante para ensino superior autoriza o aluno a trabalhar 20 horas semanais dentro do campus ou instituição de ensino. Além disso ele poderá trabalhar durante o summer break (férias de verão) fora da instituição usando o CPT (Curricular Practical Training), porém ele só poderá usar o CPT para fazer trabalhos relacionados a sua área de estudo.


Fazer um estágio durante a faculdade é muito mais possível nos EUA, por vários motivos. Primeiramente você consegue abater uma grande quantidade de seus custos com essa renda extra, além de conseguir ajustar os horários das aulas de acordo com seu horário de trabalho.


Além disso, as empresas e a própria universidade valoriza os estudantes que trabalham durante o curso, e isso com certeza é um excelente network, abrindo portas dentro e fora da faculdade.


Quando o estudante termina o curso universitário de 4 (quatro) anos, ele recebe o OPT (Optimal Practice Training), que é uma extensão do visto F1 para os estudantes que se graduam em universidades americanas e querem trabalhar no país após o curso. O OPT comum têm duração de 1 ano com opção de 2 anos adicionais para estudantes com o OPT STEM.


Os cursos que fazem parte do STEM são das áreas de ciências, tecnologia, engennharia e matemática. O governo americano oferece mais tempo para profissionais formados nessas áreas, porque são profissões que têm uma maior demanda do que oferta de profissionais. Por essa razão são os estrangeiros são convidados a ficar por mais tempo no país, caso tenham um emprego.


7 - Documentação e Visto


Depois de todo o processo de provas e escolha da universidade, chegou a hora de começar o processo de documentação e visto.


A documentação com a universidade deve acontecer de forma mais eficiente possível para que não ocorra nenhum problema que impossibilite o estudante de entrar na faculdade e/ou no país.


Depois de feita a troca de documentação entre o estudante e a universidade, o processo do visto começa com a emissão do I20 feita pela instituição. Esse documento irá provar para o governo americano existe uma instituição de ensino esperando a sua chegada.



O I20 conterá informações da universidade, anuidade, moradia, e todos os detalhes importantes que o governo americano precisa saber sobre sua estadia.


Depois da emissão do visto é só ir ao aeroporto, levar o I20 e seu passorte, e começar a maior aventura da sua vida!



Gostou do conteúdo?


Ficou alguma dúvida?


Deixe nos comentários!


Siga também nossa página do instagram @vpeducationbr e se inscreva em nossa lista de email para receber todos os conteúdos gratuitos sobre ensino internacional.





29 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo