• Vitor Lima

Entenda o College Tenis

Atualizado: Mai 20

Primeiramente gostaria de me apresentar, meu nome é Vitor Lima ex tenista profissionaL e universitário, e um dos fundadores da VP Education. Treinei em diferentes lugares em São Paulo e competi em torneios e campeonatos por boa parte da minha vida. Joguei em todos os níveis da modalidade: desde federação, brasileiros, ITF´s juvenis até torneios profissionais (futures e challengers).


Depois de jogar dois anos o circuito profissional, embarquei para os EUA onde me formei na Virginia Commonwealth University, faculdade que já pertenceu ao top 10 de tênis masculino na principal liga universitária norte-americana (Divisão 1 da NCAA). Antes da minha carreira universitária, não tinha uma total compreensão sobre as reais possibilidades do esporte universitário nos EUA.


Nós da VP Education temos como objetivo democratizar a informação para que mais tenistas brasileiros consigam, desde cedo, se preparar para a melhor experiência acadêmica e esportiva possível nos Estados Unidos. Pensando nisso criamos um resumo do que achamos que todo tenista deveria saber sobre o tênis universitário norte americano.


Estudar nos Estados Unidos como um estudante-atleta pode trazer oportunidades que custariam milhares de dólares ao longo da vida acadêmica do estudante. Nesse resumo explicaremos qual o formato dos jogos, diferenças entre as ligas esportivas (NCAA, NAIA e NCJAA), como as bolsas são distribuídas, como se destacar para os treinadores, elegibilidade e muito mais!


Tópicos


  1. Introdução ao Tênis Universitário Americano

  2. Fomato dos confrontos universitários

  3. Ligas Esportivas Universitárias Norte Americanas (NAIA, NCAA e NJCAA)

  4. Como funcionam as bolsas esportivas para tenistas

  5. Porque existem mais oportunidades de bolsa para o tênis feminino

5. O que fazer para me destacar com os coaches (técnicos) universitários norte-americanos?

b. Como melhorar meu UTR

6. Processo Seletivo

7. Official visit (O que é a visita oficial)

8. Elegibilidade



1. Introdução ao Tênis Universitário


São mais de 5,000 (cinco mil) universidades somando todas as faculdades de ensino superior nos Estados Unidos. Muitas dessas Universidades estão vinculadas com alguma Associação Esportiva Universitária. Essas Associações organizam torneios intercolegiais formando ligas, rankings e uma estrutura muito grande e robusta de campeonatos em todo o país. São mais de 24 diferentes esportes que oferecem bolsa esportiva, mas hoje estaremos focados no tênis masculino e feminino.


Existem mais de 1,200 (mil e duzentas) Universidades com programas de tênis universitário (somando as modalidades masculina e feminina), totalizando mais de 6,000 tenistas-estudantes somente na NCAA. Com essa quantidade enorme de programas, existem opções de bolsas para diferentes níveis, nos mais variados locais e universidades do país.


O nível dos programas esportivos e acadêmicos das universidades varia de acordo com a Liga Esportiva Universitária, suas divisões, ranking, conferências, região, etc.





2. Fomato dos confrontos universitários


Os confrontos intercolegiais das universidades têm diferentes formatos de acordo com a liga e a divisão. Na principal liga (Divisão 1 da NCAA), o time vencedor é o que conseguir 4 (quatro) pontos no confronto. O primeiro ponto é disputado em três jogos de dupla, o time que ganhar dois jogos, soma um ponto. Depois são jogados 6 jogos de simples, cada jogo somando um ponto no total.


Na Divisão 2 da NCAA acontece a mesma quantidade de jogos, porém os pontos são contados de outra maneira. As três duplas são contadas como três pontos individuais (cada jogo vale um ponto na somatória). Nesse formato, ganha o time que chegar ao total de 5 (cinco) pontos.


Os jogos são disputados em melhor de 3 (três) sets, e os games são sem vantagem. Os jogos de dupla são em modelo de um set profissional, até 8 (oito) games.


3. Quais são as principais ligas esportivas universitárias norte americanas?


O tênis foi a primeira modalidade das 24 atuais a ser aderida pela NCAA no ano de 1883, na época a Universidade de Harvard foi a primeira a sediar jogos universitários na modalidade. Isso mostra como o College Tennis é bem estruturado nos Estados Unidos. Hoje, mais de cem anos depois, as oportunidades para os atletas são cada vez maiores e melhores.

O esporte universitário americano é muito forte e bem estruturado. Pelo alto número de instituições de ensino superior, existem três diferentes ligas universitárias no país, elas são: NCAA, NAIA E NCJAA. Elas têm diferentes regras e quantidades de faculdades que oferecem programas de Tênis.




A NCAA é a principal liga esportiva universitária, e quase todas as Universidades mais renomadas e conhecidas nos Estados Unidos são membros dessa associação que atualmente distribui mais de 3.5 bilhões de dólares em bolsas esportivas para estudantes atletas em mais de 24 modalidades.


Somando todos os programas de tênis de todas as divisões, existem mais de 1,000 programas, somando os masculinos e os femininos. São mais de 300 milhões de dólares distribuídos anualmente pelas Universidades para seus tenistas em bolsas esportivas. Lembrando que esse valor não inclui todos os outros investimentos feitos pelas universidades como pagamento de staff, equipamento, viagens, alimentação, etc.

  • National Association of Intercollegiate Athletics (NAIA)

A NAIA é a segunda principal liga esportiva norte americana, e seus membros são Universidades que utilizam quatro anos para a formação dos estudantes. A liga é nacional com um bom nível acadêmico e esportivo, mas normalmente menor do que a maioria das Universidades da NCAA.

A associação tem regras menos rígidas de elegibilidade, sendo uma ótima opção para estudantes que são mais velhos (acima de 23 anos). Ela permite que esses estudantes tenham mais tempo de elegibilidade na liga, podendo defender a universidade e ganhar bolsas de estudo durante toda duração do curso.

  • NJCAA – National Junior College Athletics Association

A liga da NCJAA contém faculdades que oferecem cursos de dois anos. Essas Junior Colleges são instituições de transição, para estudantes que buscam programas de um menor nível esportivo e acadêmico. Normalmente são faculdades menores, mas que podem oferecer uma boa opção para estudantes porque depois de terminar uma Junior College, o aluno pode transferir os créditos para uma instituição de quatro anos.

As universidades muitas vezes não avaliam nota de SAT e TOEFL para transferências, portanto se o estudante tiver uma GPA (resumo de nota semestral) alta, ele pode transferir para uma Universidade de alto nível acadêmico e esportivo depois.

4. Como funcionam as bolsas esportivas para tenistas?


Já vimos que existem muitas oportunidades para tenistas estudarem nos EUA com bolsa, mas como essas bolsas funcionam?


As Universidades que participam das ligas esportivas contratam um staff para o time, no qual o principal responsável pelo time é o Head coach. Ele é o principal responsável pelo time, e o encarregado por montar o calendário do time, conduzir treinamentos e o recrutamento de atletas. 


Normalmente o time de tênis tem de 8 a 10 jogadores. O treinador vai dividir as bolsas avaliando os atletas em: nível de tênis, acadêmico, personalidade, entre outros. Na NCAA por exemplo, o Head coach de um time masculino recebe 4.5 bolsas completas a serem distribuídas pelos integrantes do time, enquanto um Head coach de um time feminino recebe de 6 a 8 bolsas completas.


As bolsas são renovadas anualmente, portanto é muito comum o treinador remunerar jogadores que fizeram uma boa temporada dentro e fora das quadras com mais bolsa no próximo ano. Somando as duas divisões da NCAA, são mais de 3,870 bolsas, passando os 550 milhões de dólares em valor anual. Os níveis dos times variam, portanto existem bolsas disponíveis para diferentes desempenhos esportivos. Lembrando que você pode sempre complementar a bolsa esportiva com uma acadêmica.




a. Porque existem mais oportunidades para bolsa feminina?


Isso acontece, pois, a quantidade de bolsas entre times femininos e masculinos tem de ser equilibradas. Como existem alguns esportes que só tem masculino, como o futebol americano, em outros esportes essa balança é compensada com mais bolsas disponíveis para os times femininos.


Os times de tênis femininos das Universidades Americanas têm um maior número de times e bolsas esportivas disponíveis em comparação ao masculino. São mais de 541 times somando os 314 na Divisão 1 e os 226 na Divisão 2 da NCAA.


Até quanto pode chegar o valor de uma bolsa esportiva para tenistas?


Já vimos que existem muitas oportunidades de estudar jogando tênis nos Estados Unidos. As bolsas variam de valor de acordo com o custo médio da tuition da Universidade, alimentação, moradia e taxas. As tuitions das Universidades Norte Americanas podem variar muito, saindo de Universidades custando U$ 5,000 (cinco mil dólares) anuais, até as Ivy Leagues (Harvard, Yale, Stanford, etc) que custam em média U$70,000 (70 mil dólares) anuais.


Como as bolsas na maioria das vezes não são de 100%, é muito comum o estudante receber uma percentagem de desconto relativo a tuition anual. Por exemplo, se um tenista entrar em Harvard e receber 70% de bolsa esportiva, ele receberia quase U$ 50,000 (cinquenta mil dólares) por ano de desconto. Ele(a) conseguiria aumentar a bolsa de acordo com desempenho acadêmico e esportivo, ou aumentado sua bolsa esportiva com um nível melhor que o esperado no time; também é possível um estudante-atleta conseguir uma bolsa acadêmica de acordo com sua performance nas aulas. Por exemplo, se o estudante tiver 80% de bolsa esportiva e 20% de bolsa acadêmica, ele pode zerar o custo da universidade.


Lembrando que todos os estudantes que conquistaram bolsa ou participam do time, tem direito aos mesmos equipamentos, treinamentos, alimentação e acomodação durante campeonatos, staff, tutores acadêmicos, fisioterapeutas, nutricionistas e mais! Nas melhores Universidades da Divisão 1 da NCAA, os estudantes-atletas tem uma estrutura equivalente a de qualquer atleta profissional.


5. O que fazer para me destacar para os coaches (técnicos) universitários norte-americanos?


Um dos principais trabalhos do coach universitário americano é o recrutamento de atletas para seu time. Por conta das bolsas limitadas, os treinadores devem trazer jogadores que tenham o perfil adequado com a sua universidade. Por isso, na hora do recrutamento os treinadores procuram jogadores que além do nível tenístico, também tenham o nível acadêmico para acompanhar o currículo universitário.

As necessidades dos técnicos variam de acordo com os anos, por exemplo: se um coach já tem o time formado, as bolsas distribuídas e não tenha nenhum atleta se formando; o coach irá procurar jogadores para compor o time que tenham menos bolsa ou possivelmente algum atleta para reforçar o time de duplas.


O que o técnico pode analisar na hora da avaliação do jogador:


  1. UTR

  2. Ranking ITF

  3. Ranking ATP

  4. Vídeo do atleta


O UTR (Universal Tennis Ranking) é uma das principais maneiras que os técnicos americanos usam para analisar e recrutar tenistas para seus respectivos times. O UTR ranking vai de 1 até 16.50, e ele tem o objetivo de criar um ranking universal para todos os jogadores. O ranking é movido por um algoritmo, que analisa os últimos 30 jogos de cada jogador, nos últimos 12 meses. 


Existem dois fatores que o algoritmo analisa na hora de calcular cada partida. O primeiro é a diferença de ranking entre os dois jogadores, e o segundo é a competitividade do jogo (quantidade de games vencido por cada jogador). 


Dependendo do ranking, o algoritmo cria uma expectativa de qual vai ser o resultado do jogo. Após o jogo terminar, ele reajusta a expectativa e aumenta ou diminui o ranking de cada jogador pela mesma quantidade. Ou seja, se após um jogo o UTR de um jogador cai 0,2, o do outro irá subir pela mesma quantidade. 


b. Como melhorar meu UTR?


Para melhorar seu UTR e ficar com mais chance de entrar na Universidade desejada, é importante que o jogador tenha paciência e consistência na hora de competir. O ranking é a média dos últimos 30 jogos nos últimos 12 meses, portanto um jogo sozinho não fará toda a diferença na hora da computação do ranking. Por isso o atleta deve continuar competindo e se expondo a jogos que contam para o ranking. É muito importante que o jogador consiga se expor a torneios com jogadores com o mesmo ou maior ranking UTR.


Além disso lembre-se de seguir focado durante todo o jogo, porque diferentemente de outros rankings, o UTR também analisa quantidade de games vencidos, então uma vitória de 6/1 6/2 por exemplo, tem um peso muito maior do que 6/4 7/5.

6. Processo Seletivo


Para o estudante conseguir uma bolsa esportiva, é necessário se capacitar academicamente para entrar na Universidade. Isso requer que o estudante passe pelo processo seletivo da universidade, e consiga as notas mínimas para aceitação.

Normalmente as provas pedidas pelas Universidades são o TOEFL e o SAT, podendo variar de acordo com a Instituição. Lembrando que as provas não a única maneira que as universidades usam para avaliar os alunos. O vestibular americano muitas vezes funciona como uma entrevista de emprego, e cada Universidade tem seu próprio modo de avaliar os estudantes, incluindo provas, essays, currículo do aluno, etc.





7. Official Visit


Uma visita oficial é quando qualquer parte da visita de um estudante para uma Universidade é paga pela instituição. Normalmente acontece quando os técnicos esportivos querem muito recrutar um jogador, então eles pagam (integralmente ou parcialmente) a visita do atleta para seu campus. 

Normalmente os técnicos pagam a visita para seus top recruiters, jogadores que devem jogar de titular e ter um papel importante no time. Os jogadores só podem fazer no máximo 5 visitas a universidades da D1 da NCAA, não existe limite para as D2 e D3. A Universidade pode pagar pela passagem aérea, acomodação, alimentação e três tickets para eventos universitários. 


8. Elegibilidade


As ligas esportivas Universitárias Norte Americanas são consideradas amadoras, e portanto existem uma série de regras para controlar o nível dos esportes. As regras para estar elegível para uma bolsa esportiva variam de acordo com a liga, e o estudante-atleta que deseja estudar nos EUA precisa saber e entender o que é elegibilidade. Mesmo que ele passe nas provas, e o técnico da faculdade esteja disposto a oferecer uma bolsa esportiva, se ele não estiver elegível, provavelmente irá tomar alguma punição e em alguns casos não vai poder jogar pela Universidade.

Para manter o amadorismo nas ligas, existem diferentes regras para os estudantes-atletas cumprirem para estarem aptos a jogar o esporte Universitário. As associações analisam cada caso individualmente, para decidir se o atleta pode atuar nas ligas, são levados em conta: a idade do jogador, se ele(a) jogou profissionalmente, se teve algum tipo de compensação monetária durante sua carreira pré-universitária, entre outras coisas.


NCAA D1 e D2

Dentro da NCAA, para Divisão 1, o estudante tem até 6 meses depois de terminar o ensino médio para entrar em uma Universidade (caso receba bolsa atleta). Por isso, quanto mais cedo o aluno decidir estudar nos EUA, mais fácil fica o processo. Na Divisão 2 as regras são um pouco mais brandas, dando ao aluno até um ano depois do ensino médio. Na Divisão 3 não existe bolsa esportiva, por isso é mais fácil o ingresso de estudantes mais velhos ou que disputaram competições profissionais.

NAIA e Junior Colleges

Normalmente, as regras para a NAIA e Junior College são mais brandas, e permitem estudantes mais velhos jogar pelas universidades, às vezes incluindo ex jogadores profissionais. A NCAA é mais rígida e o número de exigências aumentam de acordo com a divisão da NCAA.

Existem várias maneiras de aumentar o tempo de elegibilidade dos estudantes, e existem diferentes opções para o aluno. Para isso, é muito importante que o aluno tenha informação de qualidade e ser bem assessorado, para que assim ele possa escolher o melhor plano para sua situação, já que as universidades analisam cada perfil de aluno individualmente.

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato com a VP Education e fique mais próximo do sonho de estudar e jogar tênis universitário nos EUA com bolsa.


102 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo